Parques

Este mundão é inusitado! Está explicada a motivação do povo nômade em perambular por aí; além da coleta, da caça, a diversidade dos campos, das florestas, das montanhas, dos rios, certamente era um plus significativo e invejável!

Pobres de nós, cuja paisagem é um monte de janelas, filas intermináveis de bichos metálicos barulhentos, viadutos, pirâmides e outras figuras geométricas em vidros fosforescentes! Nem é bom lembrar daquela massa compacta emergindo de trens e metrôs…

Podemos avaliar a péssima qualidade de vida nas cidades grandes ao percorrer estradas vazias cortando as Montanhas Rochosas com o horizonte a perder de vista — sim, faz uma diferença enorme para a retina ver o infinito lááá looonge.

As árvores vestidas de dourado-amarelo-vermelho, as pedras pontiagudas enormes às margens das rodovias muito bem cuidadas, já indicam a beleza dos parques em torno de Moab/Utah, nos Estados Unidos. A cidadinha de Moab é muito agradável. A rua principal, cheia de hotéis, restaurantes, agências de aventuras radicais (e outras nem tanto), tudo em estilo do velho Oeste. Lojas muito boas. As galerias de arte e livrarias de alto nível são surpreendentes!

A cidade é ponto de partida para o Arches National Park, Canyonlands National Park e Deadhorse Point. A paisagem é indescritível: nenhum delírio, fantasia ou sonho humanos podem se comparar às brincadeiras da natureza por 300 milhões de anos. A cada momento, a cada curva, formações bizarras, impressionantes desenham palácios, pontes, círculos vazados e milhares de arcos frágeis, graciosos desafiam a gravidade. Os nomes, em tradução livre, são bem apropriados: as fofoqueiras, a torre de Babel, o órgão, o tribunal, as janelas, os jardins do diabo, etc. etc.

Os rios Colorado e Green se encontram e dividem Canyonlands em 3 partes. Apenas a parte norte pode ser percorrida de carro, nas outras há trilhas acidentadas, belíssimas para longas caminhadas e umas poucas para veículos 4×4. Uma antiga mina de urânio é hoje um dos lugares mais bonitos e mais bem conservados do parque. O Shafer Trail inexplicavelmente foi, no século passado, lugar para criação de gado e carneiros que, muitas vezes, despencavam canyon abaixo.

Em Deadhorse Point foi filmada a magnífica cena final do filme “Thelma & Louise“. Deadhorse Point é tão forte, tão imponente… silencia qualquer um.

As imagens deste lugar emocionam profundamente; estão guardadas para iluminar algum momento escuro!

Last Modified on 11/08/2013
This entry was posted in Fotografia, Viagem
Bookmark this article Parques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *