Poema

Jorge de Lima

Também há naus que não chegam
Mesmo sem ter naufragado
Não porque nunca tivessem
Quem as guiasse no mar
Ou não tivessem velame
Ou leme ou âncora ou vento
Ou porque se embebedassem
Ou rotas se despregassem
Mas simplesmente porque
Já estavam podres no tronco
Da árvore de que as tiraram

One thought on “Poema

  1. Blogs

    Há também blogs que não vão ao ar
    Não porque não tenham o que dizer
    Não porque não tivessem
    Com o que excitar as asas da imaginação
    Ou quem os alimentasse de algo degustável
    Ou a coragem de começar
    Há também blogs que vão ao ar
    Seja por coragem, seja por empurrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *